Notícias
Diagnóstico socioeconômico
11/03/2017 08:12
Diagnóstico socioeconômico e ambiental das bacias hidrográficas da região é debatido em audiência pública, em Guaraciaba
O Plano de Recursos Hídricos da região hidrográfica 01, do Extremo Oeste, avançou mais uma etapa de execução com a realização das audiências públicas. Na manhã desta sexta-feira,
Ascom 

O Plano de Recursos Hídricos da região hidrográfica 01, do Extremo Oeste, avançou mais uma etapa de execução com a realização das audiências públicas. Na manhã desta sexta-feira, 10, Guaraciaba recebeu o encontro que teve como objetivo o diagnóstico socioeconômico e ambiental da bacia hidrográfica Rio das Antas, bacias contíguas e afluentes do Peperí-Guaçú. A ação faz parte da etapa B do Plano.

 

O coordenador, Anderson Rhoden, explicou que a primeira etapa envolveu o diagnóstico dos atores sociais, mobilização da população e divulgação, além do cadastro dos usuários. “Na etapa atual, trabalhamos com as fragilidades, usos do solo, hidrogeologia, erosão e o diagnóstico socioeconômico e também do turismo. Em todas as etapas, a participação da sociedade é muito importante, por isso estamos realizando as audiências públicas”, afirma.

 

A etapa C inclui o diagnóstico dos recursos hídricos comparando a disponibilidade, a demanda, a qualidade e a quantidade. A fase seguinte fará um prognóstico dos recursos da bacia, encerrando com a etapa E que é a elaboração do Plano. Rhoden destaca que muitas das etapas são realizadas simultaneamente. “No Plano, estarão as metas, ações, propostas, e também as cobranças necessárias para um melhor uso dos recursos hídricos”, comenta.

 

No total foram realizadas seis audiências. Além de Guaraciaba, receberam o encontro os municípios de Maravilha, Itapiranga, Dionísio Cerqueira e Campo Erê. O roteiro foi concluído na tarde desta sexta-feira, em Caibí.

 

Sobre o Plano

O Plano da Bacia Hidrográfica do Rio das Antas tem um investimento de R$ 1,5 milhão proveniente da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, por meio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro).

 

O estudo terá duração de 18 meses e apontará potenciais conflitos de uso dos recursos hídricos, possibilitando ações para reverter ou evitar problemas, como escassez de água ou cheias, por exemplo. O trabalho será dividido em três eixos que compreendem a elaboração de um diagnóstico dos recursos hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio das Antas, Bacias Contíguas e Afluentes do Peperi-Guaçu, a identificação de cenários futuros e a análise de estratégias para a compatibilização entre as disponibilidades hídricas e as demandas levantadas.

Fonte: Ascom - Regional de São Miguel do Oeste

Veja também